218 052 092

Causas Físicas de Impotência

  • Mais de dois terços de todas as impotências podem ser atribuídas a causas físicas. O mau funcionamento dos nervos, vasos sanguíneos, hormonas, músculo liso dos corpos cavernosos, albugínea (envólucro dos corpos cavernosos) ou dos processos químicos do organismo podem resultar em dificuldades para obter e/ou manter uma erecção. Esta tem como reflexo uma incapacidade em preencher de forma adequada os corpos cavernosos do pénis ou de manter de forma eficaz o sangue que para lá foi canalizado. Para simplificar, a impotência de causa vascular pode ser considerada como "incapacidade de encher" ou "incapacidade de reter".

    Insuficiência vascular- incapacidade de encher

    Uma vez que para obtermos uma erecção, necessitamos de uma quantidade de sangue 7 vezes superior ao normal, os vasos sanguíneos devem poder dilatar-se para suportar este volume adicional. O endurecimento das artérias (arterioesclerose) diminui a elasticidade destas pequenas artérias. Assim, as artérias ficam incapacitadas para dar resposta adequada à necessidade de preencher o pénis com sangue. Diabetes, muitos anos de tabagismo e colesterol elevado aceleram a arteriosclerose. Estas condições dão azo a uma situação infeliz, mas muito comum, a de um homem vigoroso que se torna impotente, na maioria dos casos entre os 40 e 60 anos.

    A arterioesclerose é uma doença generalizada que afecta muitos outros vasos sanguíneos para além dos do pénis. Muitos dos homens com impotência de causa vascular apresentam algum grau de endurecimento das artérias em todo o seu corpo, mas não sendo contudo suficientemente severo para causar outros sintomas senão impotência devido a "incapacidade de encher". Outros homens impotentes têm bastantes limitações nas artérias do coração (coronárias) que causam dor no coração com o esforço (angina).

    Alguns apresentam sintomas de crise cardíaca iminente devido à insuficiência vascular nos grandes vasos do pescoço (artérias carótidas). A mesma insuficiência vascular que ocorre no coração ou no pescoço também se dá na circulação do pénis do homem impotente. O doente com insuficiência coronária não apresentará sintomas enquanto estiver em repouso, mas terá dores no peito quando fizer esforço. O doente com insuficiência vascular peniana é incapaz de desenvolver uma erecção com estimulação sexual.

    Arteriosclerose- causa mais frequente de impotência em homens com mais de 60 anos

    Infelizmente, o endurecimento das artérias é uma causa muito comum de impotência. É de longe a causa mais frequente em homens com mais de 60 anos. Alguns investigadores acham que 65% de todos os homens acima dos 65 anos estão impotentes por insuficiência vascular. Investigadores médicos sabem que o aumento da impotência verificado em homens idosos se deve ao depósito de gorduras e colesterol nas pequenas artérias do pénis. Quatro factos foram identificados como predisponentes em homens idosos para desenvolver uma insuficiência circulatória do pénis: o colesterol elevado, tabaco, diabetes e hipertensão.

    Deficiências circulatórias

    Homens jovens sem arteriosclerose podem estar impotentes devido a limitação da circulação sanguínea do pénis. As artérias penianas profundas têm entre 1 a 2 milimetros de diâmetro. Basta por isso uma pequena restrição para produzir redução no fluxo sanguíneo. Alguns homens nascem com uma circulação peniana inadequada; outros desenvolvem esta situação como consequência de um traumatismo-lesão por montar, fractura da pélvis, etc.

    Outras vezes, um glóbulo de gordura pode deslocar-se para as artérias penianas obstruindo o fluxo como consequência de uma cirurgia ou de um traumatismo ocorrido numa zona distante do pénis. As técnicas microcirúrgicas são frequentemente bem sucedidas na correção deste tipo de impotência. Infelizmente, são muito poucos os homens impotentes que apresentam este tipo de lesões isoladas. A maioria tem um endurecimento generalizado das artérias e não é candidata para este tipo de cirurgia.

    Saiba mais no documento integral disponivel para Download.

    Ver em PDF