218 052 092

Histórias das doenças da próstata

  • A palavra próstata, atribuída a herófilo, da escola de Alexandria (300 anos A.C), provém do latim "glândula pro stata". A descrição mais antiga de uma patologia prostática definida corresponde a Hipócrates, que descreveu claramente o estreitamento do colo vesical, sublinhando que os homens, a partir de certa idade sofriam de sériasalterações e dificuldades em urinar.

    Posteriormente, Oribasio de Pérgamo, em 360 D.C., descobriu a construção do colo da bexiga, e propôs a abordagem perineal, cortando a próstata, para conseguir libertar o fluxo urinário nos doentes com obstrução. Plínio O Velho, realizou o primeiro tratamento do prostatismo por poções de concha de caracol pulverizada, e da litíase vesical por curas hídricas.

    Francisco Diaz, o grande humanista, filósofo e literato espanhol, escreveu em 1588 o primeiro livro de urologia da história "Tratado nuevamente impreso de todas las enfermedades de los riñones, vexiga y carnosidades de la verga y urina", no qual se descreve de forma precisa a glândula prostática.

    A primeira descrição literária de um caso de cancro da próstata, corresponde ao cirurgião inglês G. Langstaff, publicado em 1817. A partir da segunda metade do século passado e baseando-se nos estudos necrópsicos e histológicos de Kaufmann e Recklinghausen, confirmaram-se as diferenças entre a hipertrofia prostática e o cancro.

    Em 1990, Albarran e Hallé demonstraram definitivamente a frequência do cancro da próstata, ao evidenciar que mais de 10% dos doentes diagnosticados como portadores de hipertrofia prostática, mostravam histologia de malignidade.

    Amussta, em 1827, extraiu um fragmento de tecido prostático. Posteriormente, Young descreveu detalhadamente a exerese da próstata através do períneo. Freyer, em 1896, actualizou a abordagem transvesical para o adenoma da próstata e Milllin, em 1947, descreveu a extirpação do adenoma por via retropúbica. A primeira exerese de uma próstata cancerosa foi efectuada por Kuchler em 1866, por via perineal.

    O primeiro citoscópio, criado por Max Nitze em 1877, facilitou a possibilidade de visualização da próstata, e iniciou a era da endoscopia. McCarthy, em 1937, introduziu o primeiro ressectoscópio edficaz que permitiu a cirurgia endoscópia da próstata.

    No século XX, o maior aporte ao conhecimento do cancro prostático e de toda a patologia prostática em geral, corresponde ao professor espanhol Salvador Gil Vernet.

    Em 1941, Huggins e Hodges descobriram que o crescimento do cancro prostático depende da estimulação produzida pelas hormonas masculinas (testosterona). Estes autores demonstraram que as metástases do cancro da próstata regrediam ao extirpar ambos os testículos (castração). Graças a estas descobertas receberam o prémio Nobel da Medicina.

    A partir de 1982, Walsh popularizou a prostatectomia retropúbica radical, com tentativa de preservação da potência sexual como tratamento curativo do cancro da próstata.