Nutrigenómica

Uma alimentação adequada permite contrariar a predisposição genética para determinadas patologias.

A Nutrigenómica, também designada genómica nutricional, é a ciência que estuda o impacto dos nutrientes na genética, ou seja, a forma como os nutrientes podem influenciar a expressão e a função dos genes. Rege-se pela máxima “o seu alimento é o seu medicamento”. Assim, a Nutrigenómica fornece meios para prevenir e tratar o desenvolvimento de doenças através da alimentação.

Apesar de diferentes em termos físicos, todos nós partilhamos 99% do genoma humano –apenas 0,1% refere-se às diferenças expressas na cor da pele, dos olhos e do cabelo; à maior ou menor propensão para o desenvolvimento de doenças crónicas e às necessidades nutricionais e de compostos bioativos de alimentos.

Essas diferenças são conhecidas como polimorfismos de nucleótidos únicos (SNPs, do Inglês single-nucleotide polymorphism). Atualmente, já são conhecidos mais de 10 milhões de SNPs no genoma humano. Não sendo fácil mudar os genes através da alimentação, podemos modificar a sua expressão e assegurar a respetiva estabilização. Entender estas modificações e agir aplicando uma resposta nutricional adequada, pode melhorar significativamente a expressão genética e a funcionalidade dos órgãos, bem como do metabolismo.

Além das várias fontes de alteração, os genes podem ser ativados ou silenciados em função do consumo alimentar e nutricional.

Assim, a avaliação genómica alerta-nos para:

  • A condição de alguns órgãos, nomeadamente: Fígado, Intestino, Pâncreas e Coração;
  • A presença ou ausência de enzimas essenciais à desintoxicação;
  • A suscetibilidade para desenvolver patologias específicas;
  • A existência de carências nutricionais concretas;
  • A existência de intolerâncias alimentares;
  • A predisposição para atividades físicas específicas;
  • As alterações verificadas a nível do metabolismo lípico, glicémico, hormonal e cognitivo;
  • Os níveis de ferro;
  • A manutenção da saúde óssea;
  • O equilíbrio da função imunológica.

Os nutrientes e alguns compostos bioativos podem atuar em sinergia. Assim como a alimentação é passível de influenciar a atividade dos genes, também estes podem determinar a necessidade de obtenção de nutrientes.

Conhecer estes parâmetros detalhadamente e em termos individuais permite-nos concretizar uma série de procedimentos:

  • Elaborar um plano de aconselhamento adequado quanto aos alimentos a ingerir e em que quantidade;
  • Enunciar as substâncias a evitar;
  • Planificar a estratégia de rejuvenescimento das novas células, melhorando o estado geral de saúde, a energia e a vitalidade – em suma, a qualidade de vida.

Glossário

Genética – Ramo da biologia que estuda a transferência das características físicas e biológicas de geração para geração.

Genómica funcional – Campo da biologia molecular que descreve a função dos genes e das proteínas.

Referências bibliográficas:
Fenech, M. et ali (2011) Review: Nutrigenetics and Nutrigenomics: Viewpoints on the Current Status and Applications in Nutrition Research and Practice. J Nutrigenet Nutrigenomics 4:69–89

Fujii, T., Medeiros, R.; Yamada, Y. (2010) Nutrigenômica e nutrigenética: importantes conceitos para a ciência da nutrição. Nutrire: rev. Soc. Bras. Alim. Nutr. J. Brazilian Soc. Food Nutr., São Paulo, SP, v. 35, n. 1, p. 149-166

Oliveira, N., Planello, A., Andia, D., Pardo, A., (2010) Metilação de DNA e Câncer. Revista Brasileira de Cancerologia. 56(4): 493-499

Schwartz B (2014) New criteria for supplementation of selected micronutrients in the era of nutrigenetics and nutrigenomics. Int J Food Sci Nutr.; 65(5):529-38

Especialidades

Nutrição

Nutrigenómica
Nutrição para a Saúde Sexual e Antienvelhecimento
Nutrição, Emagrecimento e Desporto
Nutrição na Prevenção do Cancro

Fale Connosco!

Marque uma consulta ou esclareça as suas dúvidas.

Abrir chat
Olá,
em que podemos ajudar?