Mecanismos do Efeito Terapêutico da Radiação LASER de Baixa Intensidade

A Radiação LASER de Baixa Intensidade, também designada de LLLT – Low Level LASER Therapy, atua ao nível dos vários tecidos por mecanismos de Bioestimulação, apresentando benefícios de caráter Anti-Inflamatório, Analgésico e Cicatrizante/Regenerador.

A radiação emitida pelo laser terapêutico de baixa intensidade (LLLT) intervém no metabolismo das células-alvo, produzindo efeitos bioestimulantes que se manifestam em processos celulares e vasculares que interferem de forma direta no processo de regeneração das células. Na realidade, a radiação LASER de baixa intensidade potencia os processos biológicos de homeostasia e assim obtém-se uma resposta, acelerada dos fenómenos habituais de regulação e regeneração do organismo, permite, ainda, corrigir a sua resposta biológica, quando esta já não é efetiva, por diversos motivos (estilo de vida, doença, etc.).

A ação biológica induzida pela radiação laser de baixa intensidade ocorre pela absorção da energia dos fotões por parte dos componentes intracelulares, provocando um desequilíbrio termodinâmico (aquecimento local não percecionado) que, por sua vez, altera a concentração de iões de cálcio (Ca+), esta induz, por um lado, a ocorrência de auto-oscilações da concentração de Ca2+ e propagação de ondas no citosol nos tecidos e, por outro, a estimulação dos processos Ca+.

Dependetes como:

  • Potencia a síntese do ADN e ARN;
  • Aumento do potencial redox mitocondrial, aumento da síntese e acumulação do ATP;
  • Libertação de NO (Óxido Nítrico);
  • Libertação de formas ativas de oxigénio;
  • Alteração da resposta intracelular à ação de hormonas;
  • Controlo da exocitose;
  • Manutenção do nível de Ca2+ no complexo de Golgi mediante a ação da Ca2+ -ATPase determinante na regulação de secreção e contactos celulares.

Que por sua vez produzem efeitos sobre os processos biológicos ao nível de:

  • Microcirculação;
  • Processos inflamatórios;
  • Regulação neuro-humoral;
  • Processos de reparação;
  • Sistema imunitário;
  • Sistema endócrino;
  • Ação espasmolítica;
  • Ação Reflexa sobre a função de vários órgãos e sistemas.

Além do poder químico decorrente de todos os processos essenciais na organização da célula viva, como as trocas de iões, as transferências protónicas nas mitocôndrias, entre outras, constituem manifestações de Forças Eletromagnéticas. Ao nível da fisiologia podemos, também, observar estas manifestações eletromagnéticas nomeadamente no que respeita: a contração do músculo cardíaco, o fluxo sanguíneo, a digestão ou a transmissão de impulsos nervosos, por exemplo.

Não esquecendo que estamos constantemente sob a exposição a campos eletromagnéticos em tudo o que nos rodeia (cosmos, microcosmos, aparelhos elétricos e eletrónicos, sendo que cada ser individual constitui, por si só, um campo eletromagnético) e que por vezes ocorrem despolarizações que necessitam ser repolarizadas, de modo a manter ou recuperar o estado saudável.

Assim, verifica-se que a natureza do laser de baixa intensidade (LLLT), enquanto fonte eletromagnética, vai induzir uma alteração do campo eletromagnético celular desencadeando a capacidade de autorregulação e autorrecuperação do organismo, tendo como resultado a regeneração tecidular e funcional, ou seja a correção da condição patológica que este apresenta.

O mecanismo que desencadeia as reações biológicas induzidas pela radiação laser de baixa intensidade (LLLT) é de natureza eletromagnética e abrangente, ou seja, não tem especificidade com determinados tipos de células, atua em todas, ativando os centros energéticos de todas as células expostas a esta radiação, o que contribui para a manutenção e regulação homeostática prevenindo novas ocorrências patológicas.

Ao encararmos este fenómeno como uma interação termodinâmica entre a LLLT e a estrutura biológica, é possível, com facilidade e determinado grau de certeza, prever o resultado do tratamento.

Contra Indicações

  • Está contra indicado em patologia renal, hepática, cardíaca e psiquiátrica quando descompensadas e na doença oncológica;
  • Existem limitações na aplicação da radiação laser de baixa intensidade em função do estado geral do paciente, da fase em que a(s) patologia(s) em causa se encontra(m), entre outros aspetos.

Este tipo de tratamento depende da indicação e realização por especialista ou, no mínimo, com a sua participação direta.

Especialidades

Medicina Laser

Mecanismos do Efeito Terapêutico
Princípios físicos da Radiação LASER
Considerações Sobre Opiáceos
Dor Crónica Geral e Tratamento da Dor

Fale Connosco!

Marque uma consulta ou esclareça as suas dúvidas.

Abrir chat
Olá,
em que podemos ajudar?