218 052 092

Testes

  • Os diferentes tipos de hormonas

    Uma vida equilibrada em termos nutricionais, físicos e psicológicos.

    Neste texto iremos apresentar uma ideia geral acerca dos diferentes géneros de hormonas existentes, abordando também alguns aspectos relevantes associados ao tema e inspirados em questões apresentadas pelos pacientes.

    Comecemos pelos grandes grupos de hormonas. Existem 4:

    I. Hormonas sexuais: são os estrogénios, a progesterona e a testosterona do grupo 4.

    Apresentam um amplo espectro de efeitos, muito para além da função reprodutiva.

    Proporcionam energia, sensação de bem-estar, comportamento adulto (no sentido reprodutor e até mesmo predador), regulam a temperatura corporal, condicionam a qualidade do sono, determinam as emoções, influenciam a capacidade muscular e regulam o factor sexual. A sua queda é rápida na idade adulta.

    II. Hormonas metabólicas: são as hormonas tiroideias, a insulina, a hormona de crescimento e outras.

    Estas hormonas regulam a fisiologia humana, isto é, fazem a gestão das calorias transformando-as em músculos, gordura e calor. Manifestam-se no crescimento humano, no armazenamento das proteínas e na assimilação dos alimentos. Estas hormonas mantêm o equilíbrio do organismo, constituindo as reservas de energia a usar na ausência de alimentos (a acumulação de gordura constitui um exemplo). Além disso, influenciam a aparência física dos indivíduos.

    III. Hormonas reguladoras: aldosterona, melatonina, hormona paratiroideia e outras.

    • Estas hormonas influenciam múltiplos aspectos do organismo humano:
    • A regulação da temperatura corporal
    • A regulação do sono
    • A capacidade de adaptação às alterações verificadas no ambiente circundante
    • O controlo do nível certo de oxigénio no sangue
    • A manutenção do nível de água adequado no organismo
    • A composição óssea

    O desequilíbrio destas hormonas gera insónias, suores e sensação de vazio interior.

    IV. Hormonas do stress: cortisol, epinefrina e adrenalina.

    São produzidas pelas glândulas supra-renais e pelo cérebro, estando associadas ao sistema de alerta.

    Permitem a sobrevivência humana. A subida abrupta destas hormonas é-nos particularmente benéfica, na medida em que melhora a memória, o nível energético (que se traduz num melhor desempenho e eficácia na realização de tarefas) e a capacidade de reacção e de adaptação. Pelo contrário, caso os seus níveis permaneçam elevados de forma crónica – situação que se verifica no contexto do envelhecimento - tornam-se especialmente tóxicas.

    Nessa medida, alteram as emoções, a memória, a qualidade do sono e enfraquecem o sistema imunitário, originando perturbações várias.